Português | English

Artigos

ENTREVISTA SOBRE DIVÓCIO PARA UM JORNAL

ENTREVISTA SOBRE DIVÓCIO PARA UM JORNAL



ENTREVISTA SOBRE DIVÓCIO PARA UM JORNAL

 

1) Por que tantos pastores estão se divorciando?

Resposta: Cada caso é um caso. Não dá para ser simplista e achar que a razão é uma só. No entanto, eu diria que na maioria das vezes os pastores casam muito mal..., pressionados pela necessidade sexual..., ainda jovens, e fazem escolhas limitadas ao 'lugar' (a igreja que freqüentam...), e pressionados pelo 'abrasamento'... Depois de maduros descobrem que se precipitaram... Ora, isto não é de 'hoje'... mas agora as pessoas estão mais livres para assumir seus desencontros. No passado os pastores continuavam casados apesar da infelicidade, pois, divorciar-se seria a mesma coisa que 'negar a fé'. Hoje sabe-se que desencontros acontecem... Todavia, como em qualquer era de novos fenômenos e ajustes..., há, também, excessos... Por isso também há pessoas se divorciando sem tentar tudo o que seja possível para salvar o que têm... ou construir o que não têm... conjugalmente.


2) Existe “algo errado” nos casamentos evangélicos de hoje?

Resposta: Sim! E não é de hoje! Existe um simplismo enorme... A idéia de que Deus banca os casamentos! Ora, casamento é coisa de um homem e uma mulher... e os dois é que têm de se encontrar. Também falta intimidade. Casais cristãos, em geral, vivem de miragens e de expectativas que não são reais... Além disso, os tabus que imperam na 'igreja' inviabilizam toda e qualquer intimidade e verdade entre os casais... começando pela vida sexual... e indo até a alma. A maioria dos casais cristãos não se conhecem... vivem da fachada... e esperam que sua conduta moral e eclesiástica seja a âncora de seus casamentos... e não é.


3) Os jovens evangélicos, que num futuro próximo sejam líderes ou pastores, estão casando cedo demais, sem esperar pela “pessoa certa”?

Resposta: Casam cedo pra poder transar. Assim, o casamento é apenas uma licença para transar sem culpa e sem 'pecado'. Sendo assim, o resultado de tal simplismo e precipitação só pode ser catastrófico!


4) Os evangélicos estão se divorciando em grande quantidade. É apenas uma tendência passageira ou uma dura realidade atual?

Resposta: A meu ver o que está acontecendo é apenas a explicitação do que antes 'se varria para baixo do tapete...' Eu passei a vida toda vendo casais separados de alma vivendo sob o mesmo teto... inúmeros pastores. Até hoje conheço centenas que me confessam que vivem da ‘aparência’... mas que não há amor e nem ‘casamento’ entre eles e suas esposas... Ora, para fins de 'consumo social'... tais casais não se 'separaram'... embora, de fato, vivam vidas divorciadas... A sociedade já se divorcia faz tempo. A novidade é a oficialização do divorcio no meio evangélico. Ora, a possibilidade de tais estatísticas de divorcio diminuírem só acontecerá se as pessoas ficarem livres para conhecerem a quem quiserem... e escolherem com mais calma... sem ser pela aflição de casar para transar. Casar para transar é literalmente coisa de fariseu: coar mosquitos e engolir camelos!


5) Biblicamente, um pastor ou líder de igreja pode ser divorciado?

Resposta: A Bíblia não diz nada sobre o assunto. Quem fala sobre isto é a “revelação da moral cristã”... que não tem necessariamente a ver com a Palavra e seu espírito. O que se diz... entre muitas outras coisas... é que o líder seja “marido de uma só mulher”... Ou seja: que não seja bígamo. Quanto ao mais... a meu ver... qualidade de liderança nada tem a ver com acidentes na vida. A maioria dos lideres que conheço não se divorciaram... mas eu não confiaria a alma de meus filhos ao ensino deles. Divorcio só divorcia gente que já está divorciada. E não vale a pena manter um casamento de mentira... apenas para fins de consumo ministerial. É mentira!



6) Como fica a autoridade eclesiástica diante de aconselhamentos matrimoniais, onde o casal está buscando o divórcio, por exemplo?

Resposta: Ora, não é preciso ser divorciado pela deixar de ter autoridade para ‘aconselhar’... basta ser hipócrita. Autoridade é fruto de verdade e sinceridade. É fruto de algo que quem vê... enxerga. Autoridade vem de coerência... e, até no divorcio pode haver coerência. Há mais coerência num divorcio honesto do que num casamento de mentira. Ou não? O que posso dizer, todavia, é que alguém que seja honesto e que tenha um dia se divorciado... em geral ajuda muito mais as pessoas a não se divorciarem do que o contrário... posto que sabem que divorcio dói mais que a dor... e só deve ser buscado se ‘ficar for a morte para a alma’. Ora, para quem tem mais necessidade de discutir e entender o tema... e sua implicações... recomendo o meu site... onde tais assuntos já estão mais que bem tratados!