Português | English

Informativo

DIA 10 DE JANEIRO... EU QUASE “FUI”

DIA 10 DE JANEIRO... EU QUASE “FUI”

Meu pai e eu fomos ordenados ao ministério no dia 10 de Janeiro. Meu filho Lukas nasceu no dia 10 de Janeiro também.

Este último dia 10 de Janeiro eu fiquei profundamente comovido e saudoso ante o fato que o Lukinhas não estava aqui para o seu aniversário.

Depois tive grande dor no coração... e que se fizeram seguir de algumas complicações de natureza física.

Meu coração tremeu forte...

Acabei no Hospital, na emergência, onde fiz uma parada respiratória. Fui entubado, enfiaram uma sonda em mim, e eu fiquei respirando na maquina por muito tempo, a fim de não sofrer outras lesões de natureza irreversível.

De fato entrei na segunda à tarde, mas só fui voltar a mim na quarta-feira...

E com um agravante: meu quadro cardíaco de fibrilação atrial havia mudado para uma arritmia mais complexa.

Quase morri!

Adriana, minha mulher e companheira, e meu filhos estavam lá... direto... cuidando de mim e orando...

Quando abri os olhos foram os olhos de Adriana que me aguardavam cheios de vida, amor e esperança. Um verdadeiro estímulo à ressurreição dos mortos!

Meu Deus, como a vida é tão frágil!

Hoje estou aqui, escrevendo bem devagar, e com algumas seqüelas temporárias, eu creio.

O processo de entubamento machucou demais a minha garganta. Não posso falar... O tal do entubamento teve que ser feito literalmente por um "bombeiro", visto que os médicos não conseguiam me entubar... Por isso minha voz acabou... talvez por uns 15 dias... tamanho foram os machucados na traqueia e garganta.

Estou escrevendo isto apenas para explicar porque ando “meu ausente” aqui do site, especialmente no que tange a responder cartas.

As ordens médicas determinam repouso!

Eu sou apenas um carinha ousado, mas que tem seus próprios limites.

Não sou de me assustar, como assustado não fiquei. Mas devo admitir que o desconforto foi grande... e está ainda sendo.

Estou tranqüilo e confiante!

Minha vida nunca esteve tanto nas mãos de Deus!


Um beijo para todos,


Caio