Português | English

Devocionais

A SEMENTE DE DEUS EM MIM

A SEMENTE DE DEUS EM MIM

Todo o que é gerado de Deus não vive pecando, pois nele está o esperma divino. Ora, esse não é capaz de viver pecando porque foi gerado por Deus (I João 3: 9).

Esperma é a palavra grega para designar a semente da graça divina no homem. O que é nascido de Deus carrega o esperma divino.

Que imagem forte!

De fato, a palavra aparece em muitas outras ocasiões, e seu uso é farto no Novo Testamento.

No entanto, a não ser no nascimento de Jesus, a imagem nunca antes teve tanto impacto. Isto porque se cria uma imagem de caráter visceral e carregado de sentido genético e procriativo.

Jesus disse, quando se despedia, que seus discípulos estavam sentindo dores de partos. Paulo disse que sentia dores de parto até Cristo ser formado em alguém. E, aqui, João diz que o nascido de Deus carrega em si o sêmen divino. E que este sêmen da graça é que o impediria de viver uma vida que tivesse contentamento na pratica da violação da consciência; ou seja: praticando o pecado.

Aquele que é nascido de Deus, ainda assim peca. Só não consegue é ter paz na instituição da violação da própria consciência como projeto existencial.

E este é um processo constante e crescente. Até Cristo ser gerado em nós.

Ora, o sinal dessa cristificação é que os bichos se reconciliam em nós. Lobo e cordeiro pastam juntos. Leão e boi se alimentam de palha, pois os leões viram vegetarianos. E a serpente vive de poeira, de obras mortas que já estão mortas mesmo, por isto, nada mais significam. A serpente passa fome nos ambientes de um coração no qual o milênio da Graça se instalou.

Nesse dia o esperma divino terá feito um homem ter se formado como homem, ainda que vivendo inacabadamente na Terra.

O milênio começa sempre que Cristo é formado num novo ser humano, e que não tem prazer na auto-violação, pois caminha satisfeito e reconciliado, e tem em sua própria paz o seu maior galardão na Terra dos Viventes.


Caio

08/07/2004