Português | English

Devocionais

A MERETRIZ E SEUS DOIS MONSTROS!

A MERETRIZ E SEUS DOIS MONSTROS!

 

 

 

 

 

A MERETRIZ E SEUS DOIS MONSTROS!

 

Ou:

 

O MONSTRO E A MULHER!

 

 

 

 

E vi subir de um Mar de nações, povos e línguas um Monstro que tinha sete aliados e dez grandes outros poderes entre os homens. Os poderes aliados ao Monstro do Mar de Povos foram ungidos pela aceitação dos homens, e sobre as suas cabeças foram postos um nome de blasfêmia.

 

O Monstro que vi era semelhante a uma mistura de forças e poderes, como se fosse um ente parecido com um leopardo, mas com os pés como os de urso, a sua boca como a de leão...

 

[O Monstro é um mix de forças e poderes de naturezas distintas. O Monstro é um hibrido!]

 

E a Serpente deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande poderio.

 

Então vi uma das suas cabeças de poder como ferida de morte, e a sua chaga mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou após do monstro.

 

[Pois a cura do Monstro foi celebrada com alegria e admiração entre muitos povos. Pois o mundo amava o Monstro].

 

E, [assim, por este modo], adoraram a Serpente, que deu ao Monstro o seu poder!

 

Também adoraram ao Monstro, dizendo:

 

Quem é semelhante ao nosso Monstro? Quem poderá batalhar contra ele?

 

[Assim, o Monstro torna-se objeto de toda admiração e fascínio].

 

E foi dado ao Monstro o poder de falar ao mundo, para proferir grandes coisas e blasfêmias; e deu-se-lhe poder para agir por [pouco tempo, algo como se fora] quarenta e dois meses, [ou como três anos e cinco meses].

 

E, então, o Monstro abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome, e o seu testemunho, e também contra os que são os habitantes dos céus.

 

[O Monstro se tornou supremo sobre tudo. A Terra queria ouvi-lo! Os céus têm que calar!]

 

E foi concedido ao Monstro fazer guerra aos separados para Deus, e vencê-los; e, assim, deu-se ao Monstro poder sobre toda a tribo, e língua, e nação.

 

[O Monstro surge do Mar de nações, e, por essas mesmas nações que a ele associam-se, é feito a Referencia de todos os humanos].

 

E, por isto, as nações adoraram ao Monstro; todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.

 

Se alguém tem ouvidos, ouça.

 

Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto. Aqui está a paciência e a fé dos santos.

 

[Aguardar que o ciclo de mortes se esgote, pois, a fome de vingança que existe na Terra é insaciável].

 

E vi agora, de outra feita, subir da terra outro Monstro, e tinha dois poderes; mostrava-se manso à semelhança da autoridade exercida por um cordeiro; embora falasse como o dragão-serpente.

 

[O 2º Monstro é também ambivalente: tem a cara boa de um cordeiro, mas suas palavras carregam o espírito do engano da Serpente, desde o início].

 

Ora, esse Monstro que vem da terra, não do mar, exerce todo o poder do 1º Monstro na presença deste; e faz que a terra e os que nela habitam adorem o 1º Monstro, que veio do Mar de Povos, o mesmo cuja chaga mortal fora curada.

 

E, assim, o Monstro da terra faz grandes sinais, [pois, tem modos de profeta], de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, à vista dos homens.

 

[No Monstro da terra existe carisma profético e violência; mas tal poder se associará ao 1º Monstro].

 

Portanto, o Monstro da terra engana os que habitam na terra com sinais que lhe foi permitido que fizesse na presença do 1º Monstro, dizendo aos que habitam na terra que fizessem “uma imagem ao poder” deste, o qual tinha sido ferido, mas vivia.

 

[O 1º Monstro sofrerá um golpe mortal, mas conseguirá sair de tudo mais forte do que nunca; e daí resultará o fortalecimento do culto ao seu nome].

 

Ora, ao Monstro da terra foi-lhe concedido que desse vida à [“representação construída para designar”] a “imagem” do 1º Monstro, para que também a “imagem” dele impactasse o mundo; e fizesse que fossem mortos todos os que não se curvassem à representação do poder da “imagem mundial” do Monstro.

 

[O Monstro da terra, mais antigo historicamente, embora mais fraco, tem poder, e, usa tal poder como profeta e abençoador do surgimento do 1º Monstro].  

 

E, assim, o Monstro da terra faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome do 1º Monstro, ou o número do seu nome — concordando e convencendo o mundo de que o 1º Monstro, o Monstro dos Povos, é a salvação Econômica da Humanidade.

 

[O que segue “interpreta” o que acima já é claro como seqüência de poderes e inter-relação entre eles. Agora, porém, um novo personagem é introduzido, o qual aparece com poder superior a todos, e que “monta” o 1º Monstro, para, então, depois, ser traída por ele].

 

 

 

Veio um dos sete anjos que têm as sete taças [de acontecimentos], e falou comigo, dizendo:

 

Vem, mostrar-te-ei o julgamento da Grande Meretriz que se acha sentada sobre muitas águas, [sobre muitas nações; de onde emerge o 1º Monstro], com quem se prostituíram os governantes da terra; e, com o vinho de sua devassidão foi que se embebedaram os [cidadãos da humanidade].

 

[Assim, a fim de me mostrar o que dissera], transportou-me o anjo, em espírito, a um deserto, e, no deserto, vi uma mulher montada num Monstro Escarlate, que era um Monstro repleto de nomes de blasfêmia, com sete cabeças e dez chifres .

 

[A Mulher inicia montada no 1º Monstro, até que o Monstro e os governantes conspirem contra a mulher].

 

Eis como era a aparência da mulher:

 

A mulher vestia púrpura e escarlata, com jóias de ouro, de pedras preciosas e de pérolas. Tinha na mão um cálice de ouro transbordante de abominações e com as imundícias da sua prostituição [universal].

 

Na sua fronte, achava-se escrito um nome, um mistério: BABILÔNIA, A GRANDE, A MÃE DAS MERETRIZES E DAS ABOMINAÇÕES DA TERRA.

 

Então, vi a mulher embriagada com o sangue dos santos da Terra e com o sangue das testemunhas de Jesus; e, quando a vi, admirei-me com grande espanto.

 

[Pois, era impensável o significado da mulher na Revelação. Quem poderia imaginar?].

 

O anjo, porém, me disse:

 

Por que te admiraste? Dir-te-ei o mistério da mulher e do Monstro que tem as sete cabeças e os dez chifres e que é montado pela mulher:

 

O Monstro que viste, era e não é, está para emergir do abismo e caminha para a destruição. E aqueles que habitam sobre a terra, cujos nomes não foram escritos no Livro da Vida desde a fundação do mundo, se admirarão, vendo o surgir do Monstro que era e não é, mas aparecerá.

 

Aqui está o sentido, que tem sabedoria:

 

As sete cabeças são sete montes, nos quais a mulher está sentada, [como é no caso da cidade de Roma, erguida sobre sete colinas]. Ora, essas colinas são também sete governantes, dos quais caíram cinco, um existe, e o outro ainda não chegou; e, quando chegar, tem de durar pouco.

 

[Clara alusão histórica imediata à seqüência de Imperadores Romanos até os dias do escritor dessas palavras].

 

E o Monstro, que era e não é, também é ele, o oitavo rei, e procede dos sete, e caminha para a destruição.

 

[Assim, o 1º Monstro é o  oitavo rei de uma sucessão espiritual da mesma qualidade, e que teve em vários Imperadores Romanos seus modelos arquetipicos].

 

Disse o anjo ainda:

 

Os dez chifres que viste são dez governantes, os quais ainda não receberam reino no poder, mas recebem autoridade como governante-representantes, junto com ao 1º Monstro, durante um tempo rápido como uma hora.

 

Esses governantes têm um só pensamento: oferecer ao 1º Monstro o poder e a autoridade que possuem.

 

[Desse modo, surge uma convergência de interesses estranhos em total apoio ao 1º Monstro].

 

Assim, unidos, pelejarão eles contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, pois é o Senhor dos senhores e o Rei dos governantes; vencerão também os chamados, eleitos e fiéis que se acham com Ele.

 

Falou-me ainda o anjo:

 

As águas que viste no início, onde a Mulher Meretriz está assentada, são povos, multidões, nações e línguas.

 

[São também os povos e nações que antes seguiam a Mulher, que, agora, entregam-se ao 1º Monstro, traindo a mulher. Portanto, o Monstro que emerge do Mar, surge do desejo de muitos e muitos povos, culturas e interesses, os quais antes existiam sob o domínio das seduções da Mulher Meretriz do engano!].  

 

 

[Entre os dez chifres que viste e o 1º Monstro, surgirá, portanto, ódio] contra a Meretriz, e a farão devastada e despojada [será a Era Pós Meretriz], e lhe comerão as carnes, e a consumirão no fogo. Porque em seu coração incutiu Deus que realizem o seu pensamento, que o executem juntos e unidos, e dêem ao 1º Monstro o reino que eles [constituem em poder]; e isto será até que se cumpram as palavras de Deus.

 

 

A mulher que viste é a grande cidade que domina sobre os governantes da terra.

 

 

[Portanto, é a capital de Domínio mundial, onde quer que exista real Controle sobre a Humanidade, como no passado foi o caso de Roma, a cidade das sete colinas].

 

 

 

Caio

11 de novembro de 2008

Lago Norte

Brasília

DF