100%
Um convite a doce revolução. Vem e Vê.
Google Play Baixe o aplicativo. O evangelho no toque do seu dedo!

TEXTOS > OPINIÃO

DECIDINDO ENTRE O DESTINO DO PINTO E A HUMANIDADE

Os cristãos americanos, na sua maioria, preferem coar mosquitos e engolir, enquanto isto, imensos camelos. Isto porque uma pesquisa americana que um dia desses me foi enviada pelo meu amigo Bento Souto, mostra que a maior base de suporte eleitoral de Bush para a próxima eleição vem dos evangélicos conservadores e fundamentalista, maioria nos Estados Unidos. A razão desse apoio evangélico tem a ver com o fato de Bush se declarar contra a união civil de gays. Enquanto isto a política externa de Bush é a mais nefasta que a América do Norte já produziu, provavelmente, em toda a sua história. Mas não importa, se gays não se casarem, isto basta. Que o mundo venha a explodir, que milhares sejam mortos, que soldados lutem guerras nas quais não acreditem, que a “liberdade” seja imposta como tirania, que motivos de invasões sejam falsos, que paises se dividam em lutas autofágicas, que riquezas de outros paguem os próprios prejuízos causados pela invasão em sua própria terra, que cenários de contornos apocalípticos se desenhem, que a cara da Grande Babilônia se mostre em nome de Deus, etc... Sim, tudo isto é nada, é bobagem diante da importância da união civil de gays. O mundo, para esses cristãos americanos, é bobagem. Os clamores da Terra inteira são um leve sussurro. Sim, o destino da Humanidade é coisa de somenos diante da situação dos pintos dos gays americanos. Assim, pintos e genitálias são mais importantes do que vidas humanas e do que o destino da espécie humana. Honestamente, de minha santa ignorância, oro a Deus pedindo que salve a Terra das taras de Bush e que são alimentadas pela compulsão sexual da “igreja”, posto que, tal ódio à questão gay, nada mais é que expressão da fixação fálica existente no fundamentalismo americano. Assim, se o mundo tiver que padecer mais 4 anos de Bush, e se for desastroso para a Terra, não ligue não. Afinal, coisa muito mais importante aconteceu: os gays americanos foram impedidos de se casar no papel. Isto sim é coisa na qual Deus se interessa mais do que no resto da humanidade. Para esses tais, parece até que se diz: “Por que Deus se preocupou com o... de tal maneira, que sacrificou o mundo inteiro para proteger o ... de ter sofrido a degradação de ter sido autenticado em cartório”. É! É chocante mesmo! O que estamos assistindo é a prevalência da versão universal do farisaísmo. A sinagoga desses fariseus é o mundo, e, por causa de seu fundamentalismo, eles não precisariam lutar contra os mulçumanos. Afinal, tanto eles quanto os islâmicos radicais querem matar uns aos outros por mera desinformação. O que eles deveriam fazer era um Congresso Fundamentalista, posto que ambos os grupos que se degladiam têm muito mais em comuns do que imaginam. De fato, tanto os cristãos americanos quanto os xiitas ilasmicos querem a mesma coisa: uma sociedade sem as mudanidades dos "gays" e de todos os demais "pervertidos". Isso, sim, salvaria a humanidade! Eles só estão guerreando porque ainda não perceberam que são idênticos em suas posturas morais. De fato, são irmãos. Deveriam fundar uma Fraternidade Universal dos Inimigos dos Diferentes, a D.F.U.D. e que facilmente dominaria o mundo, pois grande é a significação de sua incomparável causa: a preservação da moral da Terra, e que tem nas questões ligadas ao pinto e seus parentes chegados a questão das questões. Fome, morte e outras bobagens do mesmo tipo, de fato, não devem ser consideradas. As grandes causas é que precisam ser defendidas para o bem da humanidade, pois, têm a ver com os interesses mais viscerais da vontade do "deus" por eles inventado. Esta, portanto, é a batalha dos fariseus. É a vitória dos mosquitos dos valores sobre os camelos das mais essenciais importâncias da vida. Às vezes o mosquito é um camelo e o camelo é um mosquisto. Mas o fariseu não sabe fazer a diferença. Ora, mesmo sendo um discípulo de Jesus, e não crendo em carma, desejo, todavia, em nome da melhor expressão etimológica, dizer que o carma da religião é coar mosquitos e engolir camelos. E assim será até no fim do mundo. Quando chegar o dia do Pior Cenário, quem estiver vivo, verá. O embate será pelas mesmas razões, e a hipocrisia será sempre a patrocinara da carnificina. A cada dia eu entendo mais porque Jesus demonstrou tanta hostilidade ao farisaísmo. Afinal, à semelhança do dinheiro, ele também está na raiz de todos os males do mundo. Caio