100%
Um convite a doce revolução. Vem e Vê.
Google Play Baixe o aplicativo. O evangelho no toque do seu dedo!

TEXTOS > DEVOCIONAIS

A DOR QUE ESTÁ PROIBIDA DE SER LÁGRIMA


Ezequiel 24

Assim falou Ezequiel:

Deus falou comigo outra vez no ano nono, do décimo mês, aos dez do mês.

Foi assim que Deus me falou:

Filho do homem, marca na tua agenda o nome deste dia, porque o rei de Babilônia acaba de sitiar Jerusalém neste dia.

Quero que tu proponhas à Casa Rebelde uma alegoria, e dize-lhe: Assim diz o Senhor Deus: Põe a caldeira no fogo ardente; põe-na, e deita-lhe água dentro; põe na caldeira pedaços de carne, todos os bons pedaços, a coxa e a espádua; enche-a de ossos que tu mesmo escolhas.

Pega o melhor do rebanho, ajunta um montão de lenha debaixo da caldeira com os ossos; faze-a ferver bem, e cozam-se dentro dela os seus ossos.

Portanto, assim diz o Senhor Deus: Ai da cidade sanguinária, da cidade-caldeira, que está enferrujada por dentro, e cuja ferrugem não saiu dela!

Tira dela a carne pedaço por pedaço; e não faze escolha dos pedaços a pegar; não caiu sorte sobre ela!

Quem for apanhado, será apanhado; porque há sangue no meio dela!

Essa cidade-caldeira derramou sangue sobre uma penha descalvada.

Nem mesmo o derramou sobre o chão, para o cobrir com pó.
Deixaram o sangue sobre a pedra!

Foi por isso que determinei na minha indignação que seu sangue também estará sobre a pedra descalvada, para que não seja coberto; e todos o vejam.

Portanto, assim diz o Senhor Deus: Ai da cidade sanguinária! também eu farei dela uma grande fogueira!

Então Deus me disse mais as seguintes palavras:

Agora faze assim: Amontoa a lenha, acende o fogo, ferve bem a carne, engrossando o caldo, e deixa que se queimem bem os ossos.

Então a porás a caldeira vazia sobre as suas brasas, para que ela se torne candente, e se derreta o seu cobre, e se funda com a ferrugem e com a imundícia no meio da caldeira; e que se consuma misturado com a sua própria ferrugem.

Tentar limpar a si mesma será trabalho inútil!

Não sai dela a sua ferrugem, nem pelo fogo!

A ferrugem é a tua imundícia de luxúria, porquanto te purifiquei, e tu não te purificaste!

Assim, não serás purificada nunca da tua imundícia, enquanto eu não tenha satisfeito sobre ti a minha indignação.

Eu, o Senhor, o disse: será assim, e assim o farei. Não tornarei atrás, não a pouparei, e nem me arrependerei!
Conforme os teus caminhos, e conforme os teus feitos, te julgarei, diz o Senhor Deus!

Depois de um tempo Deus falou outra vez com Ezequiel.

Assim contou Ezequiel esse seu novo encontro com a Voz de Deus.

Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:

Filho do homem, eis que dum golpe tirarei de ti a delícia dos teus olhos; todavia não te lamentarás, nem chorarás, nem te correrão as lágrimas.

Tua mulher morrerá!

Geme, porém, em silêncio; não faças lamentação por ela como se lamenta pelos mortos!

Ao contrário, ata na cabeça o teu turbante, e mete nos pés os teus sapatos; não cubras os teus lábios e não comas o pão que te enviarem—conforme se costuma fazer nos dias do luto, faze o contrário.

E eu tinha que falar aquela Palavra do Senhor. Quando a falasse, morreria a minha amada; a mulher que me enchia os olhos de prazer!

Então falei ao povo pela manhã, e à tarde morreu minha mulher!

E fiz pela manhã conforme a ordem que Deus me havia dado.
Nada fiz conforme se faz quando alguém morre.

Todos me julgaram estranho...

Então o povo me perguntou:

Não nos farás saber o que significam para nós estas coisas que estás fazendo?

Eles sabiam que em minha vida tudo carrega sinais. Eu não apenas falava a Palavra do Senhor e propunha parábolas; eu também havia me tornado um sinal, uma parábola, uma mensagem, e um aviso!

Então lhes respondi:

Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:

Dize à casa de Israel: Assim diz o Senhor Deus: Eis que eu profanarei o meu santuário; que é o orgulho do vosso poder, a delícia dos vossos olhos, e o desejo maior da vossa alma!
Também ferirei os vossos filhos e vossas filhas, que deixastes; sim, eles cairão à espada.

Nesse dia, ó povo, fareis como eu fiz: não cobrireis os lábios, e não comereis o pão que vos derem os homens; tereis na cabeça os vossos turbantes, e os vossos sapatos nos pés; não vos lamentareis, nem chorareis, mas definhar-vos-eis nas vossas iniqüidades, e gemereis uns com os outros.

Deus prosseguiu falando e disse ao povo:

Assim vos servirá Ezequiel de sinal; conforme tudo quanto ele fez, assim fareis vós; e quando isso suceder, então sabereis que eu sou o Senhor Deus.

Minha situação era muito difícil.

Eu sofria minha maior dor como homem: minha mulher morrera. E o próprio enterro de minha amada se tornara uma mensagem. E a mensagem era pior que a minha própria dor; e eu tinha que falá-la, ali; diante deles.

Então o Senhor se voltou para mim e me disse:

Também quanto a ti, filho do homem, no dia que eu tirar deles a sua fortaleza, o gozo do seu ornamento, a delícia dos seus olhos, e o desejo dos seus corações, juntamente com seus filhos e suas filhas—sim! nesse dia virá ter contigo algum fugitivo para te trazer as notícias!

O que te disse, isso farei!

Mas enquanto isto tu não falarás mais nada. Estarás mudo, em silêncio, até que chegue aquele dia.

Quando chegar esse dia, então, abrir-se-á a tua boca para com o fugitivo que te trouxer a notícia, e falarás com ele; e não precisarás mais cumprir nenhum tempo de silêncio.

Desse modo tu serás para eles um sinal; e saberão que eu sou o Senhor!

Falei a Palavra!

Gemi em silêncio!

Aguardei mudo a visita daquele que me viria trazer as notícias!

Deus cumpriu o que falara!

A cidade-caldeira caiu!

O Templo veio abaixo!

O povo entendeu com amargura de alma a Palavra do Senhor!

Eu continuei a chorar...

 

Caio

2003

Copacabana

RJ